Menu
Compartilhar no Facebook

Os 10 Maiores Mitos Sobre Cerveja

cerveja Os 10 Maiores Mitos Sobre Cerveja

1. Cerveja normal ou light - As cervejas light têm em geral entre 90 a 100 calorias, contra as menos de 200 calorias das convencionais. Um amante de cerveja diz que a diferença é a mesma entre comparar um McDonalds com um Restaurante 5 estrelas. Os que buscam uma vida mais saudável e estão acostumados com dietéticos e light, dizem que a diferença é imperceptível. Portanto, a menos que você beba 300 cervejas por semana, opte por uma cerveja boa e convencional, nada de light.

2. Quanto mais escura é a cerveja, mais álcool contém – Nem sempre. A cerveja Guinness, por exemplo, é preta, e tem 4,2% de álcool. A cor da cerveja vem do malte torrado, o que não representa nada no teor alcoólico. Já os demais componentes são responsáveis pelo álcool, mas não influenciam na cor.

3. A cerveja fica com o gosto ruim se esquentar e gelar novamente – pode acontecer caso a cerveja passe pelo processo de gelar/descongelar por muitas vezes. Mas muitas pessoas acreditam que o gosto fica esquisito quando se gela uma cerveja que já foi gelada e voltou à temperatura normal. A cerveja pode estragar com o ar, a luz e o tempo. A temperatura não estragará sua cerveja a menos que seja extrema.

4. As cervejas dos EUA têm menos álcool que as demais – Algumas pessoas notam uma diferença no rótulo, sobre o teor alcoólico das cervejas comercializadas nos EUA. Os americanos usam a média de álcool por peso, enquanto os demais países adotam o padrão de álcool por volume. Uma vez que a cerveja pesa menos que a água, as cervejas americanas apresentam números menores, mas não menos álcool.

5. A cerveja Guinness servida na Irlanda é melhor – O processo de fabricação da cerveja é de baixo custo, então porque essas marcas arriscariam sua reputação ao fabricar cerveja diferente para exportação? Não faz muito sentido, e não é verdade. Com raras excessões, a cerveja exportada é exatamente igual à local. A única diferença é o frescor devido ao tempo gasto na exportação.

6. A cerveja não deveria ser amarga – O amargo da cerveja vem de um componente (presente em todas cervejas) responsável pelos maltes doces e que age como conservante. Algumas cervejas têm mais (como a India Pale Ales) e outras têm menos, caso da Wheat Beer.

7. As melhores cervejas estão nas garrafas verdes – as garrafas escuras (em geral marrons) protegem muito mais a cerveja da luz do que as claras (verdes ou transparentes). O mito surgiu depois da Segunda Guerra Mundial, quando os europeus consumiam cervejas importadas que eram produzidas e envasilhadas em garrafas verdes devido à escassez local.

8. As cervejas da Tailândia contêm formaldeído – Acredita-se que as cervejas fabricadas em Singha contêm na fórmula formaldeído. A explicação mais aceitável é que as cervejas fabricadas em Singha contêm muito mais álcool e são muito mais amargas. Quando soldados americanos ou ingleses bebiam na Tailândia, ficavam bêbados com maior facilidade e muito mais rápido do que costumavam, além de sentirem um amargo muito mais intenso. A explicação sugerida é que continha formaldeído em sua fórmula. Loucura.

9. A cerveja Corona é urina mexicana – Durante a década de ‘80, surgiu um rumor de que trabalhadores da fábrica de cerveja Corona (bem popular nos EUA) estavam urinando nos tanques das cervejas destinadas aos EUA. Certamente seria, no mínimo, desagradável, se fosse verdade. Mas como todo mito, isso causou transtornos para a fábrica – sua popularidade foi diminuindo entre os consumidores de cerveja americanos e quem se beneficiou com isso foi a Heineken. Peraí, e onde a Heineken entra na história? Ela foi a responsável por espalhar o rumor (aconteceu um caso similar a este aqui no Brasil, envolvendo a Coca-Cola e a Dolly). O responsável da Heineken admitiu a concorrência desleal e a Corona teve sua popularidade em alta novamente. Mas esse rumor é espalhado até hoje por todo o país!

10. Mulheres não gostam de cerveja – Quem será que inventou isso?! Algumas mulheres bebem muito mais do que homens. Há milhares de casos em que a mulher agüenta beber muito mais do que o homem.


  
  
  

Comentários

Compartilhar no Facebook

It Now – Uma forma simples e descomplicada de investir na Bolsa

InvestirNaBolsa It Now   Uma forma simples e descomplicada de investir na Bolsa

Sempre fui uma pessoa controladora, era uma daquelas crianças que colocava as moedas em um cofrinho e esperava o momento certo para gastá-las, não comprando qualquer besteira que encontrava pela frente. Talvez seja por isso que hoje eu gosto de economizar e de aplicar em coisas certas.

No entanto, nos dias atuais, é difícil investir o dinheiro em algo que renda de verdade. Aplicar na bolsa pode ser algo complicado em um primeiro momento, mas existem alguns fundos de investimento que podem tornar essa tarefa bem simples. Assista ao vídeo e entenda:

Funciona assim, quando você compra uma ação da bolsa, você irá investir em uma única empresa de cada vez, mas, ao comprar cotas de um dos ETFs It Now, você investe em um setor ou segmento inteiro. Dessa forma, seu investimento é menos concentrado e o seu rendimento varia conforme o desempenho do setor ou do segmento que escolheu. Além disso, o preço é menor do que comprar ações individuais da bolsa. Você pode começar com pouco dinheiro e ir aprendendo aos poucos.

No site do Itaú It Now (www.itau.com.br/itnow) tem informações sobre cada um dos ETFs e de como investir.

Se você quer brincar um pouco com ações e aprender a investir o seu dinheiro, é uma boa sugestão. Pode fazer um teste aplicando pouquinho, tem fundos quase 100% garantido.

VEJA MAIS!